Coração

Os olhos de quem não produz

7 de janeiro de 2016
Os olhos de quem não produz

Existe uma energia contrária. Algo que reluta no peito dos desgostosos.

Aqueles que curtem as estações, percebem as horas na inércia do sofá. Algo incomoda aqueles bons de cama, cansados por natureza, os famosos berço de ouro.Algo bate em quem nada faz, existe uma pulga em quem não reluta, se move. Tudo se atrofia: sonhos, pés, braços e coração. Os sonhos do vizinho cheiram a cadáver. Não existe responsabilidade e muito menos querer. A mudança é fruto da solidariedade alheia e a promessa de um “até breve” ao estado natural das coisas.

Você também pode gostar destes posts