Reflexão

Humildade é fundamental

30 de março de 2016
sammyslabbinck humildade

A palavra “humildade” é coringa em diversas situações. “Fulano é humilde”, e “Tenho orgulho de ser humilde” são umas das pérolas cansativas por quem adora usar o termo.

Porém, poucos sabem o que de fato essa palavra significa.

A palavra “humildade” tem sua origem no grego antigo, e sua fonte foge um pouco do conceito que temos do termo.A palavra que originou “humildade” foi a grega HUMUS, que significa “terra”. Este mesmo vocábulo da antiga Grécia também deu origem as palavras “homem” e “humanidade”. Significando primeiramente “terra fértil” e “criatura nascida da terra”, se desenvolveu até ter o significado que conhecemos hoje. “Humilde“, obviamente tem a mesma origem em HUMUS, e vem do grego HUMILIS, que significava literalmente “aquele/aquilo que fica no chão”.

Logo, humildade acima de tudo é não voar (no mau sentido). Não viajar entre outros países como se estivesse em casa. Aceitar suas funções e insignificância na terra e entender que qualquer um poderia e teria competência necessária para estar no seu lugar. Ter humildade é entender que o seu trabalho não é melhor/ pior que o do outro, aceitando “pitacos” e buscando sempre evoluir. Ser humilde é abdicar de nomenclaturas, esquecer rótulos e marcas, andar descalço, ser educado, saber a hora de falar baixo. Ser humilde é lavar a louça suja, entender sua insignificância perante a natureza, dar “bom dia” ao motorista, ceder o lugar a outro mais cansado que você. Enfim, poderia preencher séculos dizendo o que o valor da palavra “humildade” significa para mim.

O que mais me irrita dentre os usos errados dados à palavra, é quando assimilam humildade com pobreza, como se uma dependesse da outra. Imaginam que para ser humilde é preciso ser pobre e vice e versa. Como se a pobreza dignificasse algo. Lógico, não posso negar que a pobreza pode ser uma ótima ferramenta para estímulo da reflexão, mas condicionar sua existência a humildade é demais. O que proponho é um maior pensar sobre as nossas atitudes diárias. Será que elas têm sido tomadas com humildade? Será que estamos tratando o nosso parceiro bem? Será que pequenas atitudes diárias estão corrompendo a nossa humildade de fábrica? Quais as consequências disso e, principalmente, o que estou perdendo por ser tão mesquinho? Se indagar é o começo da revolução do amor.


Ilustração: Sammy Slabbinck

Você também pode gostar destes posts